APÓS ESCÂNDALO, PRESIDENTE AVALIA SAÍDAS NA DIREÇÃO!

O escândalo nas categorias de base do Corinthians que culminou com a saída do diretor geral José Onofre De Souza Almeida pode fazer ainda mais vítimas. Fora do cargo desde o último dia 24, quando entregou carta de desligamento, o dirigente deve levar ainda oito assessores que participavam do dia a dia da base. Os seus nomes, inclusive, já foram retirados do site oficial.

Antes apresentados como assessores do departamento de formação, André Momesso Rodrigues, Augusto Pereira de Melo, Claudinei Alves, Everton Dumbrovsky, Jadir Deodato, Luiz Wagner Alcântara, Marcelo Mattoso Azevedo e Rodrigo Giraldi não constam mais na relação. 

Segundo a assessoria de imprensa do Timão, ainda não foram definidos os nomes de quem fica ou sai. A intenção do presidente Roberto de Andrade é anunciar um novo nome para o cargo de diretor geral ainda nesta semana. A partir disso, fará novas alterações no departamento.

A saída de Onofre ocorreu dias após o GloboEsporte.com publicar um novo escândalo no departamento. O Timão contratou em maio de 2016 para a equipe sub-17 um jogador que havia sido reprovado nos testes quatro meses antes. Apesar do relatório assinado pelo técnico Márcio Zanardi não aprovar o jogador, a contratação dele foi determinada pelo antigo diretor geral. 

Esse é o segundo escândalo na base do Corinthians em menos de seis meses. Em janeiro, um empresário americano disse ter sido enganado pelo conselheiro Manoel Ramos Evangelista, o Mané da Carne, e pelo ex-diretor Fábio Barrozo na compra dos direitos econômicos do garoto Alyson, também do sub-17. Após apuração, o Comitê de Ética do conselho deliberativo decidiu arquivar o caso.